Vila Pavão vence a malária

Publicado em 3 de setembro de 2018

A malária é detectada através de exame de sangue

 

O município de Vila Pavão mudou a estratégia contra a malária. Devido ao quase desaparecimento de casos, o combate à doença passou praticamente para o controle do município.

O laboratório da Secretaria de Estado da Saúde (SESA),  montado na Unidade de Saúde do bairro Nova Munique foi desativado  na semana passada e os testes rápidos com laminas de sangue para detectar a doença,  agora são realizados no Posto de Saúde da sede e  nas unidades de Praça Rica, Conceição do XV (Cascudo) e Córrego Lindemberg,  e pelos 25 Agentes Comunitários de Saúde que receberam kits com o material para aplicar o exame sempre que houver casos suspeitos em suas respectivas regiões.

Baseado na redução drástica no número de casos, o secretário municipal de Saúde Cláudio da Cruz de Oliveira garante que a malária não oferece mais risco para a população do município. No entanto, para se afirmar que a doença está completamente controlada, são necessários pelos menos, 20 dias sem registrar casos.  “Passamos cinco dias consecutivos sem nenhum caso da doença. Apenas, na última quinta-feira (30), foi diagnosticado um caso,  num morador do Córrego do Sossego,  que após investigações, descobriu-se que a pessoa é frequentador assíduo da região de Conceição do XV.  O trabalho de monitoramento da doença continua com a mesma intensidade. A dedetização das residências nas áreas de incidência e a distribuição de repelentes também. Além disso, os agentes estão em alerta,  buscando e aplicando o teste nas pessoas com o sintoma,  e ao mesmo tempo,  orientando quanto às medidas de prevenção e mantendo  um controle sobre as pessoas que chegam ou viajam para outras regiões do país”, informou o secretário.

O combate à doença

O período crítico da malária em Vila Pavão foi registrado entre os dias 5 a 9 de agosto, quando só no município, os números saltaram de 43 para mais de 90 casos.  De acordo o último boletim divulgado, havia sido confirmado no estado,  140 de casos positivos da doença: 111 em Vila Pavão e 29 em Barra de São Francisco.

Para atuar no combate à doença, equipes de profissionais da Secretaria de Estado da Saúde (SESA) e Ministério da Saúde, se juntaram à equipe epidemiológica local e formaram uma força-tarefa no município.

Para dar suporte à força tarefa, a Prefeitura deslocou servidores, veículos e equipamentos das secretárias de Saúde, Obras,  Agricultura, Assistência Social e Educação,  e disponibilizou utensílios e móveis para a Unidade de Saúde do bairro Nova Munique, aonde foi montado uma estrutura com recepção, cadastro e triagem, laboratório para exames rápidos, setor administrativo, sala de reuniões, cozinha e banheiros. Ao todo, cerca de 45 profissionais estão atuando no combate à malária no município.

As ações se concentram, sobretudo,  nas localidades de grande incidência (Assentamento Três Corações,  Conceição do XV e Praça Rica e outras) com trabalho de conscientização e orientação da população;  pulverização com inseticida nas residências;  circulação carro fumacê pelas ruas das comunidades; distribuição de repelentes e aplicação de testes rápidos nos moradores das regiões de grande incidência na expectativa de detectar a doença na fase inicial.

Assistência

Todas as pessoas que foram diagnosticadas com a doença estão recebendo assistência gratuita pelo sistema de saúde do município. O tratamento supervisionado é iniciado com doses de medicamento durante três dias. Após o período de três dias,  começam os testes de verificação para saber se realmente o paciente foi curado. Num período 40 dias de tratamento até a liberação, são realizadas seis laminas de sangue no paciente.

Decreto restritivo deverá ser retirado em breve

O surto de malária obrigou o Governo Municipal a editar dois decretos no início do mês agosto.  Um decretando Situação de Emergência em Saúde Pública e outro proibindo a realização de eventos com aglomeração de pessoas, após as 17 horas  no município para diminuir a circulação de pessoas e assim evitar o contágio de mais pessoas através da picada, visto que a revoada do mosquito (anópheles fêmea) se dá após as 17 horas.

Com a publicação dos decretos, vários eventos religiosos, comerciais, esportivos e recreativos previstos para serem realizados em Vila Pavão nos meses de agosto/setembro  foram adiados ou cancelados. A 21ª Pomitafro, maior evento cultural da região, prevista para o período de 26 agosto a 2 de setembro foi um deles. A proibição de eventos, de acordo como alguns setores da sociedade,  vem causando impactos sociais e econômicos, por isso, há um clamor grande para que os decretos sejam retirados e a vida volte à normalidade.

Segundo as últimas informações, se escalada dos números da malária continuar estacionada,  em breve o município deverá retirar os decretos proibitivos e liberar a realização de eventos na cidade.  O prefeito Irineu Wutke tem se reunido periodicamente com sua equipe de governo, representantes da Secretaria de Estado da Saúde (SESA) e membros da Sala de Situação que monitora e coordenada as ações administravas de combate à malária no município para discutir o assunto. Ele aguarda o sinal verde para tomar tal atitude.


  VOLTAR
  IMPRIMIR
  PAGINA INICIAL
COMPARTILHE ESTA PÁGINA:

FAÇA SEU COMENTÁRIO

intranet

Rua Travessa Pavão, nº 80, Centro, 29.843-000 - (27) 3753-1001 / (27) 3753-1196 / (27) 3753-1195 / (27) 3753-1022
Horário de Expediente: Seg - Qui, 07:00 às 11:00 e 13:00 às 17:00 | Sex, 07:00 às 11:00 e 13:00 às 16:00