Reunião para discutir implantação de farinheira no município reúne grande número de produtores

Publicado em 17 de janeiro de 2019

 

Os agricultores familiares de Vila Pavão compareceram em massa à reunião promovida pela secretaria municipal de Agricultura na noite da última terça-feira (15), para discutir a implantação de uma fábrica de farinha no município.

O encontro realizado no auditório do Pronaf, foi aberto pelo secretário municipal de agricultura José Henrique Martins que falou aos presentes sobre a importância da implantação da indústria na geração de emprego para a população e fortalecimento da agricultura familiar local. O secretário afirmou que a Prefeitura estará presente em todas as etapas de implantação do projeto, bem como, dando o suporte necessário aos produtores na produção de matéria-prima para a indústria.

A fábrica de beneficiamento da mandioca na produção da farinha, a Fanorte, está em adiantado processo de instalação no município. Durante o encontro, os sócios proprietários da empresa sanaram as dúvidas dos produtores e anunciaram a aquisição de um terreno, localizado nas imediações da cidade, próximo ao antigo posto de combustíveis do Lãonzinho.

“O município de Vila Pavão já foi definido como base de produção da empresa. Tecnicamente, esse não foi o primeiro encontro promovido na cidade. Já há algum tempo estamos mantendo contato com produtores, agentes políticos e proprietário de terras visando a instalação da fábrica que está em estágio avançado. Temos uma engenheira desenvolvendo todo o projeto estrutural e as obras serão iniciadas em breve”, disse Marcelo Gabriel, sócio proprietário da empresa.

O grande número de agricultores familiares presentes ao encontro surpreendeu os empresários. Atendendo as solicitações, os diretores da Fanorte, trouxeram a agente de desenvolvimento do Banco Nordeste Sonia Lúcia de Oliveira Santos para explanar sobre as linhas de financiamento especificas do Pronaf para custear a produção de mandioca, a matéria-prima para a produção da farinha e derivados.

“O intuito dessa reunião aqui hoje foi esclarecer dúvidas e levar o amparo financeiro com linhas de crédito especificas e juros atraentes aos produtores, caso eles necessitem. Numa outra reunião a ser agendada para os próximos dias, traremos um técnico especializado para sanar todas as dúvidas dos produtores referentes à produção e comercialização da mandioca,” completou.

Conforme foi explicado na reunião, quando entrar em funcionamento, a fábrica poderá processar cerca de 30 toneladas de mandioca por dia. Nos próximos dias, a secretaria municipal de Agricultura começará a cadastrar os agricultores interessados em cultivar mandioca com exclusividade para suprir a demanda da indústria farinheira.

A administradora e advogada da empresa, Daniela Wagmacker destacou que o agricultor não precisar ficar receoso, pois terá garantias para produzir. A princípio, o início das atividades industriais no município está atrelada a chegada da matéria-prima, cultivada pelos produtores locais. “A nossa intenção é utilizar mão de obra e matéria-prima do local, dessa forma, diminuiríamos os custos de produção, e ao a mesmo poderíamos pagar um preço melhor pelo produto”, explicou.

Outras reuniões serão realizadas para levar segurança e informações em relação a quantidade de recursos que o produtor deve buscar junto a uma instituição financeira para iniciar o plantio, tamanho da área plantada, espécies apropriadas para o cultivo, preparação do solo e colheita. A ideia é sincronizar a construção da fábrica com o plantio do produto para iniciar a produção com matéria-prima do município, caso isso não ocorra, serão utilizados produtos de fora do município

Presenças

Marcaram presença no encontro, o presidente da Câmara Municipal Marquin Kloss e os vereadores João Trancoso, Juvenal Médice e Gecimar Rodrigues; o secretário municipal de Meio Ambiente Braz Marré; o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Nova Venécia e Vila Pavão, Waslei Darós Cesconetto; o presidente Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável (CMDRS) Odilon Mariano da Fonseca; representantes das associações de produtores rurais de Todos os Santos, Praça Rica, Rio XV de Novembro, Assentamento Três Corações, São Francisco de Assis, Córrego do Estevão, Córrego da Laginha e Córrego Figueira; produtores e produtoras rurais, servidores municipais, entre outros.


  VOLTAR
  IMPRIMIR
  PAGINA INICIAL
COMPARTILHE ESTA PÁGINA:

FAÇA SEU COMENTÁRIO

intranet

Rua Travessa Pavão, nº 80, Centro, 29.843-000 - (27) 3753-1001 / (27) 3753-1196 / (27) 3753-1195 / (27) 3753-1022
Horário de Expediente: Seg - Qui, 07:00 às 11:00 e 13:00 às 17:00 | Sex, 07:00 às 11:00 e 13:00 às 16:00